Ataque a Bolsonaro despolitiza debate e põe esquerda no alvo

Ataque a Bolsonaro despolitiza debate e põe esquerda no alvo

Sergio Lirio — A exploração política do episódio, diz o filósofo, tende a esvaziar a discussão de propostas e abre espaço para o candidato ampliar o eleitorado. Em março, quando a caravana de Lula foi alvejada por tiros e uma parte dos brasileiros, entre eles Jair Bolsonaro, aplaudiu o ataque, o filósofo Vladimir Safatle alertou em entrevista a CartaCapital para … Continue lendo »
O ‘pior campo de refugiados do mundo’, onde até crianças tentam o suicídio

O ‘pior campo de refugiados do mundo’, onde até crianças tentam o suicídio

Catrin Nye – A vida no ‘pior campo de refugiados do mundo’. No campo de refugiados de Moria, na ilha grega de Lesbos, a violência é mortal. A organização humanitária Médicos Sem Fronteiras diz que a situação está tão crítica que até crianças de dez anos tentaram suicídio. O abrigo está superlotado e enfrenta condições sanitárias … Continue lendo »
“PCC não tem dono. É uma fraternidade do crime”, diz sociólogo que estuda a facção

“PCC não tem dono. É uma fraternidade do crime”, diz sociólogo que estuda a facção

Flávio Costa e Luís Adorno – Gabriel Feltran considera que a facção não tem uma estrutura centralizada de mando. Nem uma empresa do crime ou apenas uma estrutura de caráter militar. Maior facção criminosa do país e presente em todos os estados, o PCC (Primeiro Comando da Capital) é uma fraternidade. Uma sociedade secreta cujo objetivo … Continue lendo »
Brasil, 64 mil mortos: Sob o medo, promessa tosca de campanha faz sucesso

Brasil, 64 mil mortos: Sob o medo, promessa tosca de campanha faz sucesso

Leonardo Sakamoto – O Brasil teve 63.880 mortes violentas intencionais, em 2017, de acordo com levantamento divulgado, nesta quinta (9), pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Isso representou um crescimento de 2,9% em relação ao ano anterior. Foram 55.900 homicídios dolosos (alta de 2,1%), 2.460 latrocínios (queda de 8,2%) e 955 lesões corporais seguidas de morte … Continue lendo »
Combate a homicídios deve considerar territorialidade, diz Ipea

Combate a homicídios deve considerar territorialidade, diz Ipea

Alex Rodrigues – Além de mais frequentes em poucas cidades brasileiras, os homicídios concentram-se em poucas regiões dos municípios mais violentos do país. É o que revela o Atlas da Violência 2018 – Políticas Públicas e Retratos dos Municípios Brasileiros, divulgado hoje (15) pelo Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (Ipea) e pelo Fórum Brasileiro … Continue lendo »
Cinco meses de intervenção: aumento da violência e poucos resultados

Cinco meses de intervenção: aumento da violência e poucos resultados

Flora Castro – “Os resultados são pífios”, é o que aponta relatório divulgado pelo Observatório da Intervenção. Em cinco meses de intervenção militar no estado do Rio de Janeiro os números mostram mais uma vez que sem estratégia e investigações baseadas em inteligência o panorama da segurança pública no Rio tende a piorar. O último … Continue lendo »
Metade dos homicídios em 2016 ocorreu em apenas 2% dos municípios

Metade dos homicídios em 2016 ocorreu em apenas 2% dos municípios

Alex Rodrigues – Metade dos homicídios registrados em 2016 ocorreram em apenas 123 cidades brasileiras, aponta o Atlas da Violência 2018 – Políticas Públicas e Retratos dos Municípios Brasileiros, do Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (Ipea) e Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP). Juntos, esses municípios representam apenas 2,2% do total de cidades brasileiras. … Continue lendo »
Caindo a máscara

Caindo a máscara

Vladimir Safatle – Com a estabilização dos votos em Jair Bolsonaro e a inanição de outros candidatos conservadores, o Brasil começa a ver a máscara cair. Aos poucos, setores do empresariado nacional, dos pequenos comerciantes, das classes tradicionalmente privilegiadas e das igrejas aparecem para expor sua adesão à brutalidade do protofascismo nacional. De fato, esse … Continue lendo »
“Meu filho se tornou neonazista e matou um homossexual com uma facada”

“Meu filho se tornou neonazista e matou um homossexual com uma facada”

Carolina Prado – Aos 23 anos, o filho do aposentado Genésio Mariuzzi, de 65, se envolveu no assassinato de um homossexual. Desde a adolescência, o pai notava no jovem um comportamento rebelde, mas diz que as coisas pioraram quando ele se uniu a grupos de ódio, de postura neonazista. “Eu tentava entender porque ele estava … Continue lendo »