50% do trabalho no Brasil pode ser feito por robô, diz estudo

50% do trabalho no Brasil pode ser feito por robô, diz estudo

Natália Portinari – O setor com maior percentual de empregos automatizáveis no Brasil é a indústria, com 69% dos postos. Em seguida, ficam hotelaria e comida (63%) e transporte e armazenamento (61%). “Todos os países estão passando por redução de empregados na indústria e migração para os serviços”, afirma Bruno Ottoni, pesquisador de economia aplicada do FGV/Ibre (Instituto Brasileiro … Continue lendo »
A Justiça Do Capital Nunca Tarda Nem Falha: Sempre Ferra O Trabalhador

A Justiça Do Capital Nunca Tarda Nem Falha: Sempre Ferra O Trabalhador

Acrísio Mota – Sorrateiramente, na sombra de tantos fatos ligados ao circo das eleições gerais no Brasil – este alçapão democrático no qual a burguesia e colaboracionistas do capital atraem e mantém desacordado o proletariado – a justiça brasileira mostrou para que e para quem a justiça em geral existe. Com a aprovação da chamada … Continue lendo »
Lutas sociais no Sul global

Lutas sociais no Sul global

Nesta quarta aula da série ENTENDENDO O PRECARIADO, Ruy Braga faz um balanço das configurações assumidas pelas lutas sociais no Sul global com a crise da globalização neoliberal e a precarização do trabalho dela decorrente. Como nos capítulos anteriores, a análise é calcada num estudo comparativo de três sociedades nacionais: Brasil, África do Sul e … Continue lendo »
Precarização no Sul global

Precarização no Sul global

Nesta terceira aula da série ENTENDENDO O PRECARIADO, Ruy Braga faz um balanço dos processos de precarização do trabalho decorrentes da implementação do neoliberalismo no Sul global. Como nos capítulos anteriores, a análise é calcada num estudo comparativo de três sociedades nacionais paradigmáticas: Brasil, África do Sul e Portugal.
Neoliberalismo no Sul global

Neoliberalismo no Sul global

Nesta segunda aula da série ENTENDENDO O PRECARIADO, Ruy Braga discute o saldo da implementação neoliberalismo na semiperiferia do capitalismo através de uma análise comparativa de três sociedades nacionais: Brasil, África do Sul e Portugal.
Introdução: Crise e agência política dos subalternos

Introdução: Crise e agência política dos subalternos

O processo de globalização capitalista favorece ou bloqueia a agência política dos subalternos? Nesta primeira aula, Ruy Braga apresenta o sentido geral do livro A rebeldia do precariado, explica o que significa buscar compreender a crise da globalização capitalista deflagrada em 2008 a partir da perspectiva dos “de baixo”.
O proletário digital na era da reestruturação permanente do capital

O proletário digital na era da reestruturação permanente do capital

Patricia Fachin – Entrevista especial com Ricardo Antunes. Entender quem é o proletário da era digital e sua inserção no mundo do trabalho é o tema de investigação do sociólogo Ricardo Antunes em seu novo livro, “O Privilégio da Servidão. O Novo Proletariado de Serviços na Era Digital” (São Paulo: Boitempo Editorial, 2018). Esse novo operário, explica, se insere num contexto de “reestruturação permanente … Continue lendo »
Uma economia quebrada à espera da eleição

Uma economia quebrada à espera da eleição

Carlos Drummond — Auxiliado pelo Congresso, o governo esmagou o mercado de trabalho, o poder de compra dos consumidores e a capacidade de inovação do País. Subocupados e desempregados somam 26 milhões de pessoas, um quarto da força de trabalho O país das próximas eleições tem como característica central a regressão acelerada em relação aos períodos … Continue lendo »
Austeridade é devastadora para comunidades rurais no Brasil

Austeridade é devastadora para comunidades rurais no Brasil

Anna Gross – Cortes em programas sociais pirou a vida no campo e devolveu 50 milhões de brasileiros à pobreza. Pelo PAA, governo compra produtos a preços de mercado da agricultura familiar e os oferece a instituições públicas, gerando renda em comunidades rurais. Raimundo Miranda, 61 anos, é um pequeno agricultor e produtor de mel … Continue lendo »
Por que o Japão está pedindo que os trabalhadores tirem uma manhã de segunda-feira de folga

Por que o Japão está pedindo que os trabalhadores tirem uma manhã de segunda-feira de folga

Pablo Uchoa – O governo do Japão quer incentivar trabalhadores a tirar folga em uma manhã de segunda-feira por mês. O objetivo do Ministério da Economia é reduzir o número de horas extras que os japoneses fazem e gerar um maior equilíbrio entre suas vidas profissional e pessoal. A iniciativa é derivada de outra medida … Continue lendo »