“Distribuir renda no Brasil sem mexer nos impostos é quixotesco”

“Distribuir renda no Brasil sem mexer nos impostos é quixotesco”

FELIPE BETIM e HELOÍSA MENDONÇA – No livro ‘Valsa brasileira’, uma análise da economia durante os governos petistas, a economista propõe mais impostos para ricos e que investimentos em inovação e serviços andem juntos. Laura Carvalho, economista e professora da USP, acaba de lançar Valsa Brasileira (editora Todavia), que já vai para a sua terceira reimpressão devido ao … Continue lendo »
É possível salvar o euro

É possível salvar o euro

Joseph E. Stiglitz – Talvez o euro esteja se aproximando de outra crise. Os desdobramentos políticos na Itália são mais um outro episódio previsível (e previsto) na longa saga de um sistema monetário mal desenhado, no qual a potência dominante (a Alemanha) impede reformas necessárias e insiste em políticas que agravam os problemas básicos, com … Continue lendo »
Número de moradores de rua dispara na capital da miséria dos Estados Unidos

Número de moradores de rua dispara na capital da miséria dos Estados Unidos

PABLO XIMÉNEZ DE SANDOVAL – Los Angeles registrou neste ano uma população de 58.000 pessoas sem teto, um aumento de 23%. Autoridades locais qualificaram situação de “emergência”. “Nunca foi tão ruim.” Quem diz isso enquanto caminha pela rua Seis do centro de Los Angeles, Califórnia, viu de tudo em se tratando de miséria. É o … Continue lendo »
ANGOLA – 320 MULTIMILIONÁRIOS, 6 MIL MILIONÁRIOS E 20 MILHÕES DE POBRES

ANGOLA – 320 MULTIMILIONÁRIOS, 6 MIL MILIONÁRIOS E 20 MILHÕES DE POBRES

Página Global – Temos 320 multimilionários e mais de 6 mil milionários. Relatório da consultora New World Wealth revela que número de milionários em Angola cresceu 82 por cento na última década. Actualmente contam-se 320 fortunas multimilionárias em Angola, país que é o sexto africano onde há mais riqueza per capita, com USD 3.600 por habitante. Os números … Continue lendo »
Contra a fuga de cérebros: o voto

Contra a fuga de cérebros: o voto

Ilona Szabó de Carvalho – Quem ganha com o não voto são os candidatos dos polos e a velha política. O que mais marcou o meu domingo não foi o morno jogo da seleção brasileira, e sim os dados da pesquisa Datafolha que mostram que cerca de 70 milhões de brasileiros com mais de 16 anos deixariam o … Continue lendo »
Na ditadura havia ainda mais corrupção no Brasil do que hoje, afirma historiador

Na ditadura havia ainda mais corrupção no Brasil do que hoje, afirma historiador

Ana Helena Rodrigues – Regime civil-militar favoreceu a concentração de renda e o aumento da desigualdade social por meio de práticas ilícitas de favorecimento dos governantes e seus apoiadores. Diante dos escândalos de corrupção vivenciados pela política brasileira nos últimos anos, parte da população clama por uma intervenção militar alegando que essa seria a solução … Continue lendo »
Periferização urbana remete a Campos de Concentração pós modernos

Periferização urbana remete a Campos de Concentração pós modernos

Ricardo Alvarez – O século XX viveu a experiência trágica do nazi-fascismo e dos Campos de Concentração. Para muitos isso se limitou a uma contingência temporal, um desvio histórico indesejado, por assim dizer; para outros foi o resultado de ambição desmedida pelo poder e das loucuras de ditadores. A maior tragédia, no entanto, é constatar … Continue lendo »
Renúncia fiscal com agrotóxicos é de R$ 9 bilhões no Brasil, segundo o TCU

Renúncia fiscal com agrotóxicos é de R$ 9 bilhões no Brasil, segundo o TCU

Cida de Oliveira – Valor estimado deixou de ser arrecadado entre 2010 e 2017 com alíquota zero de Cofins e PIS/Pasep, tributos importantes para a seguridade social, que incluem saúde, educação e assistência social O cálculo do TCU é a ponta do iceberg. Como são considerados insumos agrícolas, despesas com agrotóxicos são 100% abatidas no … Continue lendo »
Europa nega abrigo, mas comemora gols dos filhos de imigrantes

Europa nega abrigo, mas comemora gols dos filhos de imigrantes

Carol Castro — Entre as equipes do continente ainda no Mundial, todas têm em seus elencos grande número de jogadores de ascendência não europeia “Quando as coisas vão bem, eles me chamam de atacante belga. Quando não correm bem, sou o atacante belga descendente de congoleses”, conta Romelu Lukaku, da seleção da Bélgica A Bélgica deve muito a … Continue lendo »
Bolsonaro, eleições e a burguesia  brasileira

Bolsonaro, eleições e a burguesia brasileira

Ricardo Alvarez – Circula nas redes sociais e em artigos uma ideia que causa certo espanto e se apresenta, ao mesmo tempo, inexplicável: como pode o fenômeno Bolsonaro ganhar musculatura eleitoral nas frações da burguesia brasileira, em especial à produtiva e aos defensores da manutenção de um ambiente nacional de organização e articulação do negócios … Continue lendo »