País tem 11,8 milhões de analfabetos; taxa entre negros dobra ante brancos

País tem 11,8 milhões de analfabetos; taxa entre negros dobra ante brancos

LUCAS VETTORAZZO – O país tinha 11,8 milhões de analfabetos no ano passado, divulgou o IBGE nesta quinta-feira (21). O número representa 7,2% da população de 15 anos ou mais. A taxa entre pretos e pardos é de 9,9%, mais de que o dobro da de pessoas brancas (4,2%). Os dados fazem parte do módulo de educação da Pnad … Continue lendo »
O que pensa quem não quer discutir gênero

O que pensa quem não quer discutir gênero

Rodrigo Ratier – Pesquisa com manifestantes contrários à filósofa Judith Butler revela ideias equivocadas sobre o tratamento do tema nas escolas. “Menino nasce menino”, “menina nasce menina”, “xô, Judith” – e, claro, “não à ideologia de gênero”. Com mensagens desse teor, um grupo de manifestantes recepcionou a filósofa americana Judith Butler num evento em São … Continue lendo »
A cada 3 desempregados no Brasil, 2 são pretos ou pardos, diz IBGE

A cada 3 desempregados no Brasil, 2 são pretos ou pardos, diz IBGE

UOL – Pretos e pardos são mais atingidos pelo desemprego e ganham pouco mais que a metade dos rendimentos dos trabalhadores brancos no país. No terceiro trimestre, dos 13 milhões de brasileiros desocupados, 8,3 milhões eram pretos ou pardos, o que dá 63,7% do total. Os pretos ou pardos representam 54,9% da população brasileira com 14 … Continue lendo »
Negros são 64% dos desempregados, 66% dos domésticos e 67% dos ambulantes

Negros são 64% dos desempregados, 66% dos domésticos e 67% dos ambulantes

Redação – Segundo o IBGE, desemprego e exclusão atingem mais pretos e pardos (classificação do instituto), mulheres e nordestinos IBGE: 8 dos 13 milhões de desempregados são negros, mais presentes na informalidade. E brancos têm rendimento maior. O desemprego e a exclusão do mercado de trabalho atingem, principalmente, pretos e pardos (classificação usada pelo IBGE), … Continue lendo »
Negros ganham metade da renda de brancos; igualdade levará mais de 70 anos

Negros ganham metade da renda de brancos; igualdade levará mais de 70 anos

Gabriela Fujita – A abolição da escravidão aconteceu em 1888, mas negros e brancos ainda vivem em um mundo desigual. A Oxfam, entidade humanitária fundada no Reino Unido e hoje presente em 94 nações, que combate a pobreza e promove a justiça social, estima que esses dois grupos só terão uma renda equivalente no país em 2089, daqui … Continue lendo »
Situação de desigualdade das mulheres ameaça desenvolvimento mundial, conclui relatório da ONU

Situação de desigualdade das mulheres ameaça desenvolvimento mundial, conclui relatório da ONU

G1 – Relatório ‘Situação da População Mundial 2017’ ressalta que desigualdade na saúde e na garantia de direitos sexuais e reprodutivos afeta paz e desenvolvimento econômico globais. Mulheres estudam menos, ganham menos e têm mais probabilidade de ficarem desempregadas, aponta relatório da ONU O aumento das desigualdades e falhas na proteção dos direitos das mulheres, … Continue lendo »
Seu filho e as questões de gênero, uma aula a céu aberto

Seu filho e as questões de gênero, uma aula a céu aberto

Vera Iaconelli – Quando movimentos obscurantistas de ultradireita, liderados (não dá para usar encabeçados, pois é justamente a cabeça que falta) por uma figura cuja misoginia e homofobia são notórias, reivindicam que exposições de arte, aulas de história, palestras de filósofos e outras expressões culturais e políticas sejam barradas, a mensagem é clara e horripilante: … Continue lendo »
O problema do Brasil é o ódio ao pobre

O problema do Brasil é o ódio ao pobre

Jessé Souza – As noções de patrimonialismo e populismo são as ideias-guia que permitem à elite arregimentar a classe média. Elas, afinal, são as guardiãs da “distância social” em relação aos pobres, que é a pedra de toque da aliança antipopular construída no Brasil para preservar o privilégio, acesso aos capitais econômico e cultural, de 20% … Continue lendo »
Se está na cozinha, é uma mulher: como os algoritmos reforçam preconceitos

Se está na cozinha, é uma mulher: como os algoritmos reforçam preconceitos

JAVIER SALAS – As máquinas inteligentes consolidam os vieses sexistas, racistas e classistas que prometiam resolver. Um homem calvo, de uns 60 anos, mexe com suas espátulas de madeira alguns pedaços de carne dentro da frigideira. Usa óculos de acetato, calça jeans e está em frente ao fogão de sua pequena cozinha, decorada com tons claros. … Continue lendo »