A importância da soberania monetária

A importância da soberania monetária

José Luís Fevereiro – Há uma fantasia econômica disseminada pelo liberalismo. É a fantasia da austeridade virtuosa. O corte de gastos seria a medida essencial para haver crescimento e melhoria das condições de vida. Trata-se de ideia falsa. Estado soberano que emite sua própria moeda tem limites elásticos para gastar e investir. Na maior parte … Continue lendo »
Quanto mais economizamos, mais devemos

Quanto mais economizamos, mais devemos

Artur Araújo – Um milagre às avessas rege nossa economia. Desde 2015, cortamos salários, aposentadorias e direitos sociais. Mas dívidas do Estado multiplicam-se: ano passado cresceu 9,5%, chegando R$ 4,2 tri. São os estranhos efeitos da “austeridade burra”. O cantochão da fé liberal é apresentado como ciência e tem por um dos dogmas a redução da … Continue lendo »
O mercado da dívida pública no Brasil

O mercado da dívida pública no Brasil

Larissa Naves de Deus e Fábio Henrique Bittes Terra – O objetivo deste artigo é apresentar uma série de efeitos que a estruturação destes dois mercados (monetário e de dívida pública) causou para a economia brasileira. Leia análise no artigo do Observatório da Economia Contemporânea. A gestão da política macroeconômica, especialmente das políticas monetária, fiscal, … Continue lendo »
Um mundo afogado em capital: a queda global da taxa de juros e a nova rodada da crise estrutural do capitalismo

Um mundo afogado em capital: a queda global da taxa de juros e a nova rodada da crise estrutural do capitalismo

Maurilio Lima Botelho – O desastre financeiro mundial está à espreita, resta saber se será antes ou depois do Banco Central dos EUA operar com juros reais negativos. A taxa básica de juros no Brasil (Selic) foi ajustada para 5% ao no fim de outubro, atingindo o marco histórico de menor rendimento. A projeção de inflação … Continue lendo »
Bens e serviços públicos são os novos ativos financeiros

Bens e serviços públicos são os novos ativos financeiros

Patricia Fachin – Entrevista especial com Denise Gentil. O processo de financeirização da economia brasileira, iniciado nos anos 2000, ficou ainda mais intenso a partir de 2014, com o aumento da financeirização de serviços públicos, como educação, saúde e previdência, diz Denise Gentil à IHU On-Line. Segundo ela, a contração dos serviços sociais por parte do Estado abriu “uma série … Continue lendo »
O “velho capitalismo” e seu fôlego para dominação do tempo e do espaço

O “velho capitalismo” e seu fôlego para dominação do tempo e do espaço

João Vitor Santos – O “Velho Cap”, como diz Luiz Gonzaga Belluzzo, ainda se mostra potente, capaz de recuperar sua natureza inquieta e criativa para chamar a si um protagonismo no mundo de hoje. A plasticidade do capitalismo permite que ele assuma o espírito do tempo e, com isso, vá se transmutando e se tornando … Continue lendo »
Banco Mundial, parceiro de maldades de Bolsonaro

Banco Mundial, parceiro de maldades de Bolsonaro

Paulo Kliass – Prestes a anunciar “Reforma” Administrativa, que pode liquidar serviço público, governo usa velha tática: para chancelar medidas impopulares, encomenda “estudo” de instituição ultraliberal. Entidades já organizam resistência a desmonte. Vira e mexe o roteiro surrado e desgastado reaparece nas cenas da Esplanada brasiliense. Em geral, o movimento tem início quando algum governo impopular … Continue lendo »