‘Brasil está virando uma Grécia tropical sem a fantasia do Syriza’

‘Brasil está virando uma Grécia tropical sem a fantasia do Syriza’

ARMANDO BOITO JR – Para professor da Universidade de Londres, tensões entre a democracia e o neoliberalismo explicam parte da crise no país “O Brasil entrou na divisão internacional do trabalho abaixo da China. Isso é um absurdo, para um país que tinha construído uma base industrial razoavelmente coerente e sofisticada. Agora, estamos presos debaixo de … Continue lendo »
Juros brasileiros castigam a economia

Juros brasileiros castigam a economia

MARK WEISBROT – A direita do Brasil gosta de se queixar dos impostos, mas não parece ter problema com o maior e mais economicamente destrutivo deles: os juros exorbitantes que os brasileiros pagam sobre sua dívida pública. Podemos enxergá-los como se fossem um imposto, já que são cobrados do público. Em 2016, cerca de 7,6% … Continue lendo »
Nos EUA, uma nova bolha imobiliária ameaça criar outra crise

Nos EUA, uma nova bolha imobiliária ameaça criar outra crise

Carlos Drummond — Cenário semelhante ao 2008 assusta o mundo ainda não refeito da recessão. Fundos tomaram as casas dos proprietários despejados e isso fez subirem preços e aluguéis Ainda não refeito do colapso de 2008, o mundo corre o risco de uma nova crise imobiliária nos Estados Unidos, epicentro da recessão iniciada há quase … Continue lendo »
Por que as grandes empresas zombam da crise

Por que as grandes empresas zombam da crise

Rute Pina – Christian Vasconcelos da Cunha posa em heliporto, em SP. Executivo da JHSF, ele administra shoppings e imóveis de luxo. Aumento dos lucros corporativos, em meio ao empobrecimento do país, tornou ainda mais fundo o fosso de desigualdade O lucro líquido de 294 empresas brasileiras de capital aberto atingiu R$ 103,3 bilhões em 2016. … Continue lendo »
Romper o círculo vicioso das dívidas privadas ilegítimas

Romper o círculo vicioso das dívidas privadas ilegítimas

Eric Toussaint – A dívida privada tem servido desde o início da história, há 5 000 anos, para escravizar, espoliar, dominar, desapossar as classes populares (sendo as mulheres as principais vítimas) e as classes trabalhadoras: pequenos agricultores, artesãos, pescadores, os atuais assalariados e os membros das suas famílias (estudantes que se endividam para prosseguirem os estudos). O … Continue lendo »