Crise na Amazônia tem de ser ponto de inflexão para oposição brasileira, diz Noam Chomsky

Crise na Amazônia tem de ser ponto de inflexão para oposição brasileira, diz Noam Chomsky

Patrícia Campos Mello – A esquerda brasileira está apática e deveria se unir em torno da crise na Amazônia para fazer uma oposição real a Jair Bolsonaro. Para o linguista americano Noam Chomsky, 90, ícone da esquerda mundial e que está no Brasil, a esquerda de vários países abraçou o combate à mudança climática e … Continue lendo »
Segurança pública: hora de trazer a pauta para a esquerda

Segurança pública: hora de trazer a pauta para a esquerda

Almir Felitte – Grupo de policiais antifascista de SP quer combater o discurso da bala, que ajudou a eleger Bolsonaro, Doria e Witzel. Propõe novo modelo de combate à violência: policiamento comunitário e união entre baixa patente e população marginalizada. A eleição do ano passado foi, sem dúvidas, uma das que mais levantaram debates dentro da … Continue lendo »
Brasil vive um clima de pré-nazismo enquanto a oposição emudece

Brasil vive um clima de pré-nazismo enquanto a oposição emudece

JUAN ARIAS – O silêncio dos que deveriam defender a democracia pode acabar deixando o caminho aberto aos autoritários, que se sentem ainda mais fortes diante de tais silêncios. O Brasil está vivendo, segundo analistas nacionais e internacionais, um clima político de pré-nazismo, enquanto a oposição progressista e democrática brasileira parece muda. Somente nos últimos … Continue lendo »
Harvey: os insurgentes estão chegando

Harvey: os insurgentes estão chegando

Edgar Sapiña – Geógrafo aposta que, nos próximos anos, surgirá uma nova e instigante esquerda a partir de lutas anticapitalistas. Ao atualizar e reorganizar a luta de classes, poderá dar salto ideológico: varrer o neoliberalismo, tanto das ruas quanto das mentes. David Harvey (Gillingham, 1935) é um geógrafo marxista de origem britânica que trabalha como … Continue lendo »
Pós-capitalismo na era do algoritmo (1)

Pós-capitalismo na era do algoritmo (1)

Cédric Durand e Razmig Keucheyan – Dado como morto após a queda da União Soviética, o planejamento está em cena de novo, impulsionado pelo Big Data. As corporações usam-no para turbinar o consumismo. Mas ele pode impulsionar um socialismo radicalmente democrático. Ao fim do século XX, quando o bloco soviético caiu, a questão do planejamento … Continue lendo »
Políticas identitárias atuais ‘não mudam estrutura social’, diz autor

Políticas identitárias atuais ‘não mudam estrutura social’, diz autor

GIOVANNA GALVANI – Em entrevista exclusiva, Asad Haider defende a volta dos movimentos de massa para mudanças efetivas – inclusive na esquerda. Os fatores decisivos para políticas públicas e justiça social devem ir além da identidade pessoal, mesmo para os setores historicamente excluídos dos espaços de poder. É com essa ideia que Asad Haider, autor … Continue lendo »
“Veremos um ressurgimento da esquerda, mas precisa buscar uma nova voz”

“Veremos um ressurgimento da esquerda, mas precisa buscar uma nova voz”

Edgar Sapiña – A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata. Você se define como anticapitalista, antes que socialista, comunista, anarquista ou populista. Por quê? O capital tem muita influência sobre muitos aspectos da vida diária. Não é apenas a economia. É a cultura, a forma de pensar e … Continue lendo »
Gramscismo: uma ideologia da extrema-direita

Gramscismo: uma ideologia da extrema-direita

Lincoln Secco – Nos es­ter­tores da Di­ta­dura Civil-Mi­litar, a ex­trema-di­reita bra­si­leira en­frentou uma crise de di­reção e teve que mudar. Os ideó­logos mi­li­tares se vol­taram para novas te­o­rias que a es­querda bra­si­leira de­batia no final dos anos 1970, entre elas a de An­tonio Gramsci (1). A atenção se jus­ti­fi­cava porque a luta ar­mada não existia … Continue lendo »
Falta uma nova esquerda para encarar Bolsonaro

Falta uma nova esquerda para encarar Bolsonaro

Antonio Martins – Governo expõe múltiplas contradições e incapacidades. Mas para frear a ofensiva conservadora, e reconquistar as maiorias, será preciso algo que os partidos não parecem capazes de oferecer. Um enigma crucial, sobre a figura e o papel de Jair Bolsonaro, tormenta e ameaça boa parte dos que se opõem e tentam resistir a … Continue lendo »
A oposição nos cem primeiros dias de Bolsonaro

A oposição nos cem primeiros dias de Bolsonaro

Juliano Medeiros – Unidade pode ir muito além de partidos e bancadas parlamentares. Como já se tornou tradição no mundo político, os primeiros cem dias de um governo servem para promover um balanço das ações da nova gestão e avaliar a popularidade do presidente, governador ou prefeito. No caso de Jair Bolsonaro (PSL), a avaliação dos … Continue lendo »