“No 150º aniversário de ‘O Capital’, ainda vale a pena ler Marx”

“No 150º aniversário de ‘O Capital’, ainda vale a pena ler Marx”

Zhang Danhong – Principal obra do filósofo alemão é possivelmente uma das mais citadas mundo afora – mas não necessariamente a mais lida. Em entrevista à DW, jornalista econômico aponta os prós e contras do livro na era da globalização. Há exatos 150 anos era lançado O capital, de Karl Marx (1818-1883), um obra que hoje tem um status quase mítico. … Continue lendo »
Agnes Heller: “A maldade mata, mas a razão leva a coisas mais terríveis”

Agnes Heller: “A maldade mata, mas a razão leva a coisas mais terríveis”

GUILLERMO ALTARES – A pensadora Agnes Heller diz que a Europa é hoje melhor, mas diz que o nacionalismo ainda impera Agnes Heller (Budapeste, 1929) resume a história da Europa, ou melhor, a tragédia da Europa. Esta filósofa, uma das pensadoras mais influentes da segunda metade do século XX, sobreviveu ao Holocausto, embora seu pai tenha … Continue lendo »
Onde está a imaginação política da esquerda?

Onde está a imaginação política da esquerda?

Pablo Ortellado – A direita brasileira desabrochou. Ela não apenas liderou e deu orientação política ao sentimento anticorrupção, como inspirou novas gerações que andavam em busca de uma causa, misturando rebeldia antiestablishment, novas formas de ativismo e a promessa de uma renovação completa do país. O discurso da direita tem sido inspirador porque oferece algo … Continue lendo »
Sobre o marxismo e questões transversais

Sobre o marxismo e questões transversais

Wladimir Pomar – Este co­men­tário surgiu da cons­ta­tação de que existem pes­soas sin­ceras que ainda acre­ditam na queda do Muro de Berlim e no des­monte da União So­vié­tica como fa­tores que atin­giram todas as es­querdas e fi­zeram com que seus pen­sa­mentos pas­sassem a girar como um pião e a re­pro­duzir va­ri­antes de in­ter­pre­tação mar­xista. O que … Continue lendo »
Renda Universal Básica. “A esquerda deve ter um projeto próprio de reformas trabalhista e da Previdência”

Renda Universal Básica. “A esquerda deve ter um projeto próprio de reformas trabalhista e da Previdência”

IHU – Uma renda básica universal “é uma das propostas mais interessantes que poderiam reconfigurar a discussão sobre direitos e garantias” no Brasil. A avaliação é da professora Tatiana Roque, que dá aula na pós-graduação de Filosofia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Com pesquisas em história da ciência e filosofia francesa contemporânea, ela acredita que a … Continue lendo »
“Precisamos restaurar o protagonismo dos movimentos de base”

“Precisamos restaurar o protagonismo dos movimentos de base”

Rute Pina – Escritor participou de encontro nacional dos movimentos de moradia e defendeu a unificação dos movimentos populares “Nós falhamos porque abandonamos o trabalho de formação política e de organização de base a longo prazo”, disse o escritor A formação política e o resgate do trabalho de base e de equipes de educação popular são, … Continue lendo »
As ciências humanas e a guerra cultural no Brasil

As ciências humanas e a guerra cultural no Brasil

Marcos Napolitano – Se quisermos um país com capacidade de formulação de políticas públicas eficazes, precisamos das ciências humanas na pesquisa e na educação. Independente do debate esquerda / direita, que se bem colocado pode até ser muito produtivo (o que não é o caso do Brasil atual, infelizmente), as ciências humanas têm um papel a … Continue lendo »
A Revolução na Finlândia

A Revolução na Finlândia

Eric Blanc – A esquecida Revolução Finlandesa talvez tenha mais lições para nós hoje do que os acontecimentos de 1917 na Rússia. No último século, histórias sobre a revolução de 1917 geralmente focaram-se em Petrogrado e nos socialistas russos. Mas o Império Russo era predominantemente composto por não-russos – e os levantes na periferia imperial … Continue lendo »
Três dimensões da tragédia da esquerda no início do século XXI

Três dimensões da tragédia da esquerda no início do século XXI

Edemilson Paraná – Pode-se dizer que a ação das esquerdas realmente existentes hoje se divide em três as grandes “correntes”. E se, na busca por uma esquerda conectada com os desafios de nosso tempo, conseguíssemos nos pautar pela necessidade de reter as virtudes e descartar os vícios de cada uma? Passadas as venturas e desventuras do longo … Continue lendo »