A ridicularização da política

A ridicularização da política

Marcia Tiburi – Não costumo publicar entrevistas nesta coluna, mas como as perguntas do Juremir Machado valem mais do que as respostas que tentei apresentar – e  que foram publicadas no jornal Correio do Povo, que circula no Rio Grande do Sul -, acho que está valendo (além de tudo, estou escrevendo um romance e … Continue lendo »
Quem são os neonazistas brasileiros?

Quem são os neonazistas brasileiros?

Lu Sudré – Número de pessoas interessadas no neonazismo cresce mais que a população brasileira, afirma antropóloga “Devemos assegurar a existência de nosso povo e um futuro para as crianças brancas”. As 14 palavras de David Lane, influente líder do neonazismo, ecoaram no mundo todo após serem ditas por supremacistas brancos em Charlottesville, cidade do Estado … Continue lendo »
Por que nos importamos com símbolos escravagistas dos EUA e ignoramos os do Brasil?

Por que nos importamos com símbolos escravagistas dos EUA e ignoramos os do Brasil?

REGIANE OLIVEIRA – O debate sobre a permanência de monumentos em homenagem aos bandeirantes ainda passa ao largo do que se discute pelo mundo Foi em uma escola pública convencional de São Paulo, há mais de 20 anos, que o índio guaraniJurandir Augusto Martim descobriu como o jurua (homem branco, na língua guarani mbya) contava a história dos … Continue lendo »
Entrevista traz análise e histórias de corrupção na ditadura militar

Entrevista traz análise e histórias de corrupção na ditadura militar

Redação – Aos 53 anos do golpe, a corrupção no período de exceção e a participação de grandes empreiteiras foi tema da conversa realizada na Casa Pública, no Rio Há 53 anos o país mergulhava nos 21 anos mais complicados de sua história: a ditadura militar. Na entrevista a seguir, conduzida pela codiretora da Pública, Marina … Continue lendo »
Noam Chomsky: EUA são o país mais perigoso do mundo

Noam Chomsky: EUA são o país mais perigoso do mundo

Daniel Falcone – Em nova entrevista, o linguista, filósofo e intelectual norte-americano Noam Chomsky explica por que os Estados Unidos são o país mais perigoso do mundo A proliferação nuclear e as mudanças climáticas são hoje motivo de preocupação aguda, levada ao extremo em razão do governo de Donald Trump, nos EUA. Nesta entrevista exclusiva para a Truthout, … Continue lendo »
Esfera de influência: como os libertários americanos estão reinventando a política latino-americana

Esfera de influência: como os libertários americanos estão reinventando a política latino-americana

Lee Fang – Para Alejandro Chafuen, a reunião desta primavera no Brick Hotel, em Buenos Aires, foi tanto uma volta para casa quanto uma volta olímpica. Chafuen, um esguio argentino-americano, passou a vida adulta se dedicando a combater os movimentos sociais e governos de esquerda das Américas do Sul e Central, substituindo-os por uma versão pró-empresariado do … Continue lendo »
O distritão e a destruição da participação popular

O distritão e a destruição da participação popular

Cezar Britto — É ruim para o País uma regra em que o mandato tem como dono um indivíduo apenas compromissado com os seus próprios interesses A reforma política não é panaceia, tampouco a solução final para a cura dos males sofridos pela população. Mas ela é, sobretudo, ponto de partida para a restauração da confiança popular … Continue lendo »
‘Golpe no Brasil é parte do projeto de recolonização da A. Latina’, diz prêmio Nobel da Paz Pérez Esquivel

‘Golpe no Brasil é parte do projeto de recolonização da A. Latina’, diz prêmio Nobel da Paz Pérez Esquivel

Marco Weissheimer – Para ativista argentino, privatização de empresas estatais é um dos objetivos do golpe de Estado “O que está acontecendo no Brasil tem a ver com o projeto de recolonização do continente. Esse projeto tem alguns objetivos estratégicos: o controle dos nossos recursos naturais e, como já disse Michel Temer, a privatização das empresas … Continue lendo »
Um comandante nazista na Volkswagen do Brasil

Um comandante nazista na Volkswagen do Brasil

DW – Franz Stangl, ex-chefe de dois campos de extermínio na Polônia, não só se tornou funcionário da montadora em São Bernardo do Campo, como também montou esquema de espionagem na fábrica em colaboração com o regime militar. Ex-comandante dos campos de extermínio de Treblinka e Sobibór na Polônia, Franz Paul Stangl trabalhou por oito … Continue lendo »