“O Brasil, pra mim, é um grande motivo de pessimismo”

“O Brasil, pra mim, é um grande motivo de pessimismo”

Ciro Barros – Um dos mais influentes antropólogos do planeta, Eduardo Viveiros de Castro não se dá tanta importância. “Talvez seja uma conjunção aleatória, um contingente de fatores que fez com que eu me tornasse uma pessoa em evidência dentro da academia e, depois, fora”, diz com a franqueza habitual. Escolhido pelos leitores aliados da Agência Pública como entrevistado … Continue lendo »
Permanência ou saída de Bolsonaro do PSL: o que está em jogo?

Permanência ou saída de Bolsonaro do PSL: o que está em jogo?

VICTOR PICCHI GANDIN – Em 2018, na esteira do movimento que permitiu a eleição de Jair Bolsonaro à Presidência da República, o PSL – Partido Social Liberal destacou-se devido ao seu crescimento expressivo. A legenda teve seu ápice exatos 20 anos após seu registro no Tribunal Superior Eleitoral, vindo a eleger 52 deputados federais e … Continue lendo »
Assim surgiu o protofascismo contemporâneo

Assim surgiu o protofascismo contemporâneo

Serge Halimi e Pierre Rimbert – Resgate de um fenômeno político dramático: o avanço da ultradireita, após a crise de 2008. Pobreza da maiorias. Rios de dinheiro aos bancos. Arrogância dos liberais. Paralisia da esquerda. Os ingredientes que criaram o monstro e como vencê-lo Budapeste, 23 de maio de 2018. Vestindo uma jaqueta um pouco … Continue lendo »
Por que obedecemos?

Por que obedecemos?

Ana Paula Corti e Fernando Cássio – Sobre o episódio do recolhimento de apostilas escolares em São Paulo, restou a seguinte pergunta: por que milhares de professores e diretores de escola simplesmente cumpriram uma ordem absurda e ilegal? No começo de setembro, João Doria, governador de São Paulo, ordenou via Twitter o recolhimento de apostilas … Continue lendo »
Brasil na clave internacional: neocolonialismo e dinastia autocrática

Brasil na clave internacional: neocolonialismo e dinastia autocrática

Marco Aurélio Cabral Pinto – O Bolsonarismo não é um fenômeno de curto prazo; possui amparo nas estratégias do dominador externo, no caso os EUA, para o país nas próximas décadas de exploração do pré-sal. 1.Neocolonialismo como resposta ao projeto brasileiro Não é possível se entender o que acontece no Brasil sem que se leve … Continue lendo »
Netos de nazistas quebram o silêncio

Netos de nazistas quebram o silêncio

DW – Oitenta anos após o início da Segunda Guerra, silêncio sobre a colaboração com o Holocausto prevalece dentro de muitas famílias alemãs. Novas gerações tentam desvendar lacunas sobre o passado de seus avós. Gabriele Palm-Funke recorda exatamente quando começou a pesquisar. Foi há 12 anos, quando ela e seu filho pequeno viajaram com sua mãe … Continue lendo »
Com risco de chegar às escolas, negação da história preocupa especialistas

Com risco de chegar às escolas, negação da história preocupa especialistas

Renata Cafardo – Não houve ditadura no Brasil, o Holocausto não aconteceu, os negros não foram escravizados. O chamado negacionismo histórico ganhou força nos últimos meses, impulsionado pelas redes sociais e por declarações de políticos. O tema, que era pouco estudado, agora preocupa especialistas pelo risco iminente de chegar às escolas. “Os livros didáticos podem … Continue lendo »
Giuseppe Aragno: historiador italiano analisa o conceito de fascismo e as semelhanças entre Bolsonaro e Salvini

Giuseppe Aragno: historiador italiano analisa o conceito de fascismo e as semelhanças entre Bolsonaro e Salvini

Rogério Freitas – Nascido em Nápoles, comunista libertário por convicção, professor e escritor, Giuseppe Aragno diz que “ensina para viver, mas aprendeu e vive aprendendo”. Foi professor de História Contemporânea na Universitá Degli Studi di Napoli Federico II. Em 1995 ganhou o Prêmio Laterza por uma coletânea de poemas. Seu coração pulsa mesmo quando o … Continue lendo »
Dos governos de direita, Bolsonaro é o que mais tem traços neofascistas

Dos governos de direita, Bolsonaro é o que mais tem traços neofascistas

Mayara Paixão – Em entrevista ao Brasil de Fato, sociólogo marxista compara o capitão reformado ao “Mussolini dos anos 1920”. Há mais de 40 anos, o paulistano Michael Löwy vive na França. Foi em solo europeu que consagrou-se como um dos intelectuais marxistas mais conhecidos e respeitados no mundo. Ao longo das décadas, Löwy, hoje … Continue lendo »