As raízes filosóficas da destruição do mundo

As raízes filosóficas da destruição do mundo

George Monbiot – As corporações globais destroem o planeta. Mas apoiam-se numa ideia que nasce em Platão, cresce em Santo Agostinho e reverbera em Descartes: a de que a Alma, ou a Razão, devem vencer a Natureza e nossos sentidos. Sabemos para onde estamos indo. Faz muitos anos os cientistas avisam que estamos explodindo os limites  ecológicos da … Continue lendo »
“Barões ladrões”, há cem anos…

“Barões ladrões”, há cem anos…

Howard Zinn – O historiador norte-americano Howard Zinn lembra, num livro recém-lançado na França, o final do século XIX, marcado, em seu país, pela ditadura econômica e social dos “barões ladrões”. A importância da obra tornou-se ainda maior com os novos escândalos financeiros sacodem os EUA. O Diplô reproduz algumas páginas. Nos manuais de história norte-americanos, … Continue lendo »
No capitalismo só não há espaço para dois entes: o ser humano e a natureza

No capitalismo só não há espaço para dois entes: o ser humano e a natureza

Patricia Fachin – O ponto final na curta história do projeto de estado de bem-estar social, iniciado no pós-guerra, parece ter sido colocado com a crise financeira mundial de 2008. Se o capitalismo atual, impulsionado pela financeirização, não encontra limites matemáticos, alcançando uma cifra 350% superior ao PIB mundial, defronta-se com a barreira que lhe confere alguma materialidade: o ser … Continue lendo »
Traços Fundamentais do Capitalismo

Traços Fundamentais do Capitalismo

Escola de Governo – Chegamos, neste início do século XXI, ao apogeu do capitalismo, no preciso sentido etimológico do termo, isto é, à fase histórica em que ele se coloca na posição de maior distanciamento da Terra e da Vida. É este, portanto, o momento crítico, segundo a velha tradição hipocrática, em que se pode … Continue lendo »
Antropoceno e as fronteiras planetárias

Antropoceno e as fronteiras planetárias

Liszt Vieira – O Antropoceno teria se iniciado por volta de 1800, com o advento da sociedade industrial, caracterizada pela utilização maciça de hidrocarbonetos. Desde então, a concentração de dióxido de carbono na atmosfera não cessa de crescer. Essa primeira fase do Antropoceno vai até 1945 ou 1950. Em setembro de 2017, em Montreal, o … Continue lendo »
Estados Unidos: expectativas negativas para 2018

Estados Unidos: expectativas negativas para 2018

Virgílio Arraes – Nos dias de hoje, o con­ser­va­do­rismo po­lí­tico une os dois grandes par­tidos nos Es­tados Unidos – si­tu­ação não muito di­fe­rente da do Brasil, a des­peito do con­teúdo dos dis­cursos à so­frida po­pu­lação. Do­nald Trump der­rotou Hil­lary Clinton por cri­ticar as con­sequên­cias da glo­ba­li­zação na vida do ci­dadão médio do país, como o … Continue lendo »
A maioria dos africanos não emigra para onde você (possivelmente) pensa

A maioria dos africanos não emigra para onde você (possivelmente) pensa

LOLA HIERRO – Sai o primeiro atlas que analisa os complexos fluxos populacionais da África Subsaariana, com especial atenção ao âmbito rural Dizer que a África se movimenta seria pouco. O continente na verdade está em ebulição: 36 milhões de africanos migraram em 2017, ou seja, 14% dos 258 milhões de deslocamentos registrados no ano passado em … Continue lendo »
O capitalismo atual é incapaz de entregar o que promete

O capitalismo atual é incapaz de entregar o que promete

Luiz Gonzaga Belluzzo – Como diz Benjamin, o presente aglutina o que foi conquistado pelas lutas sociais e a descoberta de novas chances para ação humana coletiva. Na primeira edição do ano de CartaCapital, assaltaram-me dúvidas nada cartesianas. Peço vênia, diria o ministro Barroso, para me embrenhar na selva das dúvidas prosaicas. Dúvidas que assaltam os … Continue lendo »
Do “livre” mercado às grandes ditaduras

Do “livre” mercado às grandes ditaduras

Robert Kuttner – Sai, nos EUA, livro sobre Karl Polanyi – o pensador que mostrou como a desregulação das economias levaria à desigualdade brutal e, por fim, ao fascismo. Que era esplendorosa estaríamos supostamente vivendo, com a única superpotência restante espalhando o capitalismo e a democracia liberal em todo o mundo. Em vez disso, a democracia e … Continue lendo »