O que fazer para revitalizar a esquerda

O que fazer para revitalizar a esquerda

Hamilton Octavio de Souza – Uma ta­refa bas­tante de­li­cada no Brasil atual é iden­ti­ficar e or­ga­nizar qual deve ser a atu­ação po­lí­tica da es­querda sem in­gressar no jogo dos grupos que se en­gal­fi­nham na dis­puta do apa­relho de Es­tado para ge­ren­ciar ver­sões do ca­pi­ta­lismo. E sem cair no fla-flu das tor­cidas fa­na­ti­zadas que em­ba­ra­lham emo­ci­o­nal­mente o … Continue lendo »
Obama na política internacional: o peso do sistema

Obama na política internacional: o peso do sistema

Luiz Eça – Como se sabe, o pre­si­dente dos EUA é o homem mais po­de­roso do pla­neta. Mas ele não manda tanto quanto a frase faz supor. O cha­mado “sis­tema” cos­tuma ser mais forte. Co­me­çando pelo seu prin­cipal ator, o Con­gresso, a quem cabe o papel de aprovar leis, além de contar com ou­tras atri­bui­ções que … Continue lendo »
O jornalismo insensível e a banalização do desemprego

O jornalismo insensível e a banalização do desemprego

Cristina Fróes de Borja Reis e Fernanda Graziella Cardoso – Que a velha mídia oriente-se pelos dogmas de mercado, já não se estranha. O grotesco é não enxergar o drama humano de 12,3 milhões de pessoas A estatística recém-divulgada da pesquisa PNAD contínua do IBGE é desoladora: 12,3 milhões de pessoas desocupadas no país no último … Continue lendo »
A arte de imbecilizar crianças

A arte de imbecilizar crianças

Christian Dunker – “A arte de perder não é difícil de dominar; há tantas coisas que parecem preenchidas com a intenção de serem perdidas, que a perda delas não é nenhum desastre. Perca algo todos os dias. (…) Então pratique perder melhor, perder mais rápido: lugares e nomes, e até mesmo onde é que você … Continue lendo »
Cuba, Fidel e o dia depois: a possibilidade de uma ilha

Cuba, Fidel e o dia depois: a possibilidade de uma ilha

Pablo Stefanoni – Ne­nhuma re­vo­lução pôde re­criar-se como mito du­rante meio sé­culo. Ne­nhuma, com a ex­ceção da Cu­bana. Cin­quenta anos de­pois do ou­tubro russo, a re­vo­lução havia pas­sado pelo trau­má­tico re­co­nhe­ci­mento do gulag sta­li­nista. Meio sé­culo de­pois da Longa Marcha vi­to­riosa de Mao Ze­dong, o Im­pério do Meio já es­tava tran­si­tando para o “exi­toso” ex­pe­ri­mento de … Continue lendo »
Lições da crise do sindicalismo dos EUA

Lições da crise do sindicalismo dos EUA

Reginaldo Moraes – O que os sindicatos brasileiros podem aprender com seus congêneres norte-americanos sobre a organização do precariado e dos empregados terceirizados Há muitas histórias sobre o sindicalismo norte-americano. Algumas foram até popularizadas em filmes que mostram traços de gangsterismo, penetração da máfia etc. Mesmo quem conhece apenas superficialmente aquele mundo (me incluo neste … Continue lendo »