Com Netflix a guerra híbrida é uma realidade

Com Netflix a guerra híbrida é uma realidade

Mariana Serafini – Sociólogo esclarece o drama pré-eleitoral na Argentina e relata como as direitas latino-americanas atuam com as forças imperialistas para manter a divisão dos povos no século XXI. O sociólogo argentino Atilio Boron é um dos intelectuais marxistas mais ativos da América Latina hoje. Seus artigos e livros contribuem para o debate ideológico … Continue lendo »
Políticas identitárias atuais ‘não mudam estrutura social’, diz autor

Políticas identitárias atuais ‘não mudam estrutura social’, diz autor

GIOVANNA GALVANI – Em entrevista exclusiva, Asad Haider defende a volta dos movimentos de massa para mudanças efetivas – inclusive na esquerda. Os fatores decisivos para políticas públicas e justiça social devem ir além da identidade pessoal, mesmo para os setores historicamente excluídos dos espaços de poder. É com essa ideia que Asad Haider, autor … Continue lendo »
O “velho capitalismo” e seu fôlego para dominação do tempo e do espaço (II)

O “velho capitalismo” e seu fôlego para dominação do tempo e do espaço (II)

João Vitor Santos – Entrevista especial com Luiz Gonzaga Belluzzo. Parte II Na primeira parte da entrevista concedida por e-mail à IHU On-Line, o economista Luiz Gonzaga Belluzzo destacou como o capitalismo, ou “Velho Cap”, como ele diz, ainda se mostra potente, capaz de recuperar sua natureza inquieta e criativa para chamar para si um protagonismo no mundo de … Continue lendo »
O “velho capitalismo” e seu fôlego para dominação do tempo e do espaço (I)

O “velho capitalismo” e seu fôlego para dominação do tempo e do espaço (I)

João Vitor Santos – Entrevista especial com Luiz Gonzaga Belluzzo. A plasticidade do capitalismo permite que ele assuma o espírito do tempo e, com isso, vá se transmutando e se tornando senhor do tempo e do espaço. “O velho capitalismo reconciliou-se com sua natureza inquieta e criativa. Tão inquieta e criativa que rapidamente transmutou a concorrência perfeita em concorrência monopolista”, observa … Continue lendo »
Realistas vs. fantasistas

Realistas vs. fantasistas

Ronaldo Lemos – Dá para dizer que estamos entrando em uma era em que o mundo fica cada vez mais Smart. Não no sentido de “smart” phones ou de “smart” cities, mas sim no sentido do acrônimo para Simplista, Mecanicista, Ahistórico, Reducionista e Tautológico. Dentre os efeitos da mudança brutal das mídias em que estamos vivendo, está a … Continue lendo »
A superação do trabalho: um olhar alternativo para além do capitalismo

A superação do trabalho: um olhar alternativo para além do capitalismo

Robert Kurz e Norbert Trenkle – “A superação do trabalho não significa uma simples redução quantitativa do tempo de trabalho por meio da ‘automação total’ (sem consideração pelo conteúdo), mas libertar todas as atividades sociais do seu conteúdo abstrato, dessensibilizado, meramente acidental em relação à indiferença da forma.” O texto “A superação do trabalho” apareceu em … Continue lendo »
“Veremos um ressurgimento da esquerda, mas precisa buscar uma nova voz”

“Veremos um ressurgimento da esquerda, mas precisa buscar uma nova voz”

Edgar Sapiña – A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata. Você se define como anticapitalista, antes que socialista, comunista, anarquista ou populista. Por quê? O capital tem muita influência sobre muitos aspectos da vida diária. Não é apenas a economia. É a cultura, a forma de pensar e … Continue lendo »
“Nossa cultura tem medo do conflito”

“Nossa cultura tem medo do conflito”

Thiago Domenici – Pesquisador social da Comunicação Não-Violenta afirma que para viver em democracia é preciso fazer as pazes com o conflito e que a aversão a ele é que cria perigo. “Contraintuitivamente se eu fizesse aquilo que me dava mais medo eu iria, na verdade, me tornar mais seguro”, comenta o britânico Dominic Barter … Continue lendo »
Hannah Arendt e a guerra pela verdade

Hannah Arendt e a guerra pela verdade

Renato Francisquini – Nazismo é de esquerda? Houve golpe em 1964? Revisionismo histórico é usado para sustentar governos autoritários. Filósofa explica: “falsas verdades” são perversas porque nos desorientam no mundo real. Podemos combatê-las? Nos últimos anos, assistimos atônitos à proliferação de um sem número de narrativas cuja relação com os fatos não passa, para dizer … Continue lendo »
Os efeitos letais da política econômica dos EUA pelo mundo

Os efeitos letais da política econômica dos EUA pelo mundo

CARLOS DRUMMOND -As consequências do panorama atual, aponta estudo, são o crescimento do abismo entre ricos e pobres. A economia dos Estados Unidos mostra há décadas perda de vitalidade e funcionamento em parte comprometido, revela o mais amplo diagnóstico realizado sobre a área. Planejado e coordenado pelo Roosevelt Institute, sob a direção do Nobel de … Continue lendo »