A gramática neoliberal, o bandido bom e o bandido morto

A gramática neoliberal, o bandido bom e o bandido morto

PAULO MOTORYN – Não é exagerado afirmar que a expressão carrega certos marcadores sociais, e por trás dela se escondem dois problemas estruturais do Brasil: a desigualdade e o racismo No início de 2017, o País assistiu à explosão de uma vultuosa crise carcerária. Não faltaram cenas dantescas de violência e barbárie, de crueldade e terror, … Continue lendo »
Por que fósseis achados no Marrocos mudam tudo o que sabemos sobre a origem da humanidade

Por que fósseis achados no Marrocos mudam tudo o que sabemos sobre a origem da humanidade

Pallab Ghosh – Reconstrução do primeiro crânio de Homo sapiens, feito com base em ressonâncias de múltiplos fósseis originais A teoria de que o homem moderno evoluiu em um único “berço de humanidade” há 200 mil anos no leste da África perdeu sustentação científica, graças a novas pesquisas recém-divulgadas. Fósseis dos cinco mais antigos humanos … Continue lendo »
Complexo Fabril

Complexo Fabril

Gabriel Brito – O tra­balho duro na in­dús­tria têxtil, os pés­simos sa­lá­rios, a in­sa­lu­bri­dade, a exaustão, a de­si­lusão, o as­sédio moral, as leis, a jus­tiça e a po­lícia a ser­viço do pa­trão. Num pri­meiro mo­mento, o leitor deve pensar nos bo­li­vi­anos es­cra­vi­zados pelas em­presas ter­cei­ri­zadas que for­necem roupas para as Ma­risas e Zaras. Mas é a … Continue lendo »
Agnes Heller: “A maldade mata, mas a razão leva a coisas mais terríveis”

Agnes Heller: “A maldade mata, mas a razão leva a coisas mais terríveis”

GUILLERMO ALTARES – A pensadora Agnes Heller diz que a Europa é hoje melhor, mas diz que o nacionalismo ainda impera Agnes Heller (Budapeste, 1929) resume a história da Europa, ou melhor, a tragédia da Europa. Esta filósofa, uma das pensadoras mais influentes da segunda metade do século XX, sobreviveu ao Holocausto, embora seu pai tenha … Continue lendo »
O perigoso narcisismo de João Dória

O perigoso narcisismo de João Dória

Fran Alavina – Tudo é simulacro nas postagens obsessivas do suposto “trabalhador”. Mas desvincular imagem de realidade pode ser eficaz, em tempos de política do espetáculo. Os leitores de OutrasPalavras lembram-se de que acompanhamos criticamente o “fenômeno” Doria desde a campanha para o último pleito municipal. Em sua primeira fase, nosso ovacionado prefeito notabilizou-se por unir … Continue lendo »
Desigualdade de renda no Brasil não caiu entre 2001 e 2015, aponta estudo

Desigualdade de renda no Brasil não caiu entre 2001 e 2015, aponta estudo

FERNANDA PERRIN e NATÁLIA PORTINARI – A desigualdade de renda no Brasil não caiu entre 2001 e 2015 e permanece em níveis “chocantes”, de acordo com um estudo feito pelo World Wealth and Income Database, instituto de pesquisa codirigido pelo economista Thomas Piketty, conhecido por seus estudos sobre desigualdade com a obra “O Capital no Século … Continue lendo »
Não há arte possível para a gente de bem

Não há arte possível para a gente de bem

Daniela Name – A autocensura transformada em censura pelo Santander Cultural é um sinal dos dias sombrios que atravessamos. Uma exposição que inflamou aquela cidade fria. Os cidadãos de bem comentavam, mesmo sem ter visto. As mães protegiam seus filhos daquelas telas, esculturas, fotografias e objetos, consideradas uma ameaça à família, ao espírito nacional, aos … Continue lendo »
Por que nos importamos com símbolos escravagistas dos EUA e ignoramos os do Brasil?

Por que nos importamos com símbolos escravagistas dos EUA e ignoramos os do Brasil?

REGIANE OLIVEIRA – O debate sobre a permanência de monumentos em homenagem aos bandeirantes ainda passa ao largo do que se discute pelo mundo Foi em uma escola pública convencional de São Paulo, há mais de 20 anos, que o índio guaraniJurandir Augusto Martim descobriu como o jurua (homem branco, na língua guarani mbya) contava a história dos … Continue lendo »