O governo Temer escolhe o inimigo: os direitos adquiridos pelos mais pobres

O governo Temer escolhe o inimigo: os direitos adquiridos pelos mais pobres

Leonardo Sakamoto – Relendo e revendo entrevistas concedidas por ministros do governo Michel, há um elemento em comum que salta aos olhos: questionar os direitos sociais. Ou seja, deixar claro que aquilo que foi conquistado a suor e sangue, muitas vezes através de décadas de lutas e reivindicações, e que representa um patamar mínimo de garantia de … Continue lendo »
Requiem para o sonho americano

Requiem para o sonho americano

MAURÍCIO ANGELO – Noam Chomsky e os princípios da concentração de riqueza e poder. Noam Chomsky é, sem dúvida, um dos intelectuais mais influentes e prolíficos dos últimos 100 anos. Figura central em diversas áreas do conhecimento que, não bastasse todo seu trabalho, tem um dom raro: o de conseguir ser extremamente didático, lúcido e sensato para … Continue lendo »
Cheios de fome

Cheios de fome

LEANDRO KARNAL – Que ninguém acuse o PMDB de incoerência e contradição. Para negar valores é preciso primeiro que eles existam, diz historiador Escrevo com o Brasil já sob nova administração. Crônica de uma morte longamente anunciada, a presidente Dilma foi afastada do cargo, e o vice, Michel Temer, assumiu o posto máximo do Executivo. Vices … Continue lendo »
Michel Temer e o Capitalismo de Desastre

Michel Temer e o Capitalismo de Desastre

Gustavo Henrique Freire Barbosa – Pode haver mais que trapalhadas, no festival de erros bizarros que marca os primeiros dias do golpe. Naomi Klein já ensinou: o caos é o melhor caminho para levar sociedades a aceitar as “terapias de choque” El Ladrillo era o nome do programa de governo apresentado pelos chamados Chicago Boys, discípulos … Continue lendo »
E o vento levou: quase cinco anos da Primavera Árabe

E o vento levou: quase cinco anos da Primavera Árabe

Moulay Hicham– Após a onda de revoltas iniciada na Tunísia em janeiro de 2011, a Primavera Árabe parece encurralada entre duas ameaças: o retorno dos Estados autoritários e o risco jihadista. Entretanto, a exigência por dignidade e a aspiração por liberdade não desapareceram no seio da população O mundo árabe enfrenta desafios que parecem insuperáveis, os … Continue lendo »
É preciso uma política

É preciso uma política

Paul Krugman – Os políticos dos Estados Unidos adoram assumir a pose de defensores dos valores familiares. Infelizmente, essa pose muitas vezes, talvez costumeiramente, revela notável hipocrisia. E não, não estou falando do contraste entre as poses assumidas em público e o comportamento pessoal, ainda que esse contraste possa ser extremo. O que espanta mais: o … Continue lendo »
Envolvido em corrupção, Congresso brasileiro é circo que tem até seu próprio palhaço

Envolvido em corrupção, Congresso brasileiro é circo que tem até seu próprio palhaço

Andrew Jacobs – Um dos espetáculos há mais tempo em exibição no Brasil conta com um número desconcertante de personagens cuja teatralidade aparece em milhões de televisores quase toda noite. O elenco em constante mudança de 594 integrantes e inclui suspeitos de homicídio e tráfico de drogas, ex-jogadores de futebol, um campeão de judô, um … Continue lendo »
Democracia sem democratas

Democracia sem democratas

José Carlos Peliano – O afastamento da presidenta Dilma de seu cargo simboliza a hipócrita, espúria e impiedosa virada de mesa do incipiente processo democrático no País. O afastamento da Presidenta Dilma do cargo não apenas retira temporariamente seu mandato concedido por 54 milhões de eleitores, ele simboliza hipócrita, espúria e impiedosamente a virada de … Continue lendo »
O golpe usou a toga

O golpe usou a toga

Maria Inês Nassif – O Judiciário e o Ministério Público não barraram as ofensas contra a democracia porque eram parte da conspiração A estratégia do golpe institucional, com papel ativo do baixo clero do Legislativo e de instâncias judiciárias (o juiz de primeira instância Sérgio Moro e o Supremo Tribunal Federal), e ação publicitária dos … Continue lendo »
Ainda podemos?

Ainda podemos?

Juliana Sayuri – Os jovens acreditaram no “yes, we can change” de Barack Obama. Oito anos depois, querem mais mudança. De olho nas eleiçõesamericanas, o economista Joseph Stiglitz, Prêmio Nobel, atribui peso decisivo ao voto da juventude nesta nova disputa presidencial. “Precisamos imaginar que é possível mudar esse sistema. E os jovens, sim, acreditam que outro … Continue lendo »