A PEC do Teto (241/2016) – como ficará?

A PEC do Teto (241/2016) – como ficará?

GUILHERME C. DELGADO – Escrevo um dia depois da aprovação da PEC 241/2016 pela Câmara Federal (em primeiro turno). Do texto inicial, oriundo do Poder Executivo, praticamente nada mudou de essencial, exceto pequenos ajustes para os orçamentos de Saúde e Educação, cuja regra atual ainda valeria até 2017. Haverá ainda um segundo turno de votação … Continue lendo »
Junta financeira comanda o Brasil e impõe ditames a toque de caixa

Junta financeira comanda o Brasil e impõe ditames a toque de caixa

Vladimir Safatle – Semana passada, o dito “governo” resolveu apresentar à população seu plano de emergência econômica diante da propalada crise. Conhecido como PEC 241, o plano visa congelar os investimentos estatais nos próximos 20 anos, permitindo que eles sejam, no máximo, reajustados pela inflação do período. Isso significa, entre outras coisas, que o nível … Continue lendo »
O Congresso no bolso da indústria farmacêutica

O Congresso no bolso da indústria farmacêutica

Najla Passos – Raio-X de uma relação promíscua: o dinheiro e favores oferecidos aos deputados para restringir genéricos, favorecer testes com cobaias humanas e garantir lucros bilionários Este texto é um dos capítulos do livro: “A Privatização da Democracia: Um Catálogo da Captura Corporativa no Brasil” Em 2014, a indústria farmacêutica alcançou no Brasil um valor de … Continue lendo »
Voto é como vacina: tem que ser obrigatório

Voto é como vacina: tem que ser obrigatório

Antonio Lassance – A defesa do voto facultativo é muito bonita. Bonita, ingênua, desinformada e irresponsável. A defesa do voto facultativo é muito bonita. Bonita, ingênua, desinformada e irresponsável. É preciso fazer esse debate com todo o respeito às pessoas que pensam diferente, que são muitas. Mesmo o “irresponsável” que acabei de utilizar tem um … Continue lendo »
De onde veio essa abstenção toda?

De onde veio essa abstenção toda?

Carlos Machado, Danusa Marques e Luiz Augusto Campos – Já não é novidade que, apesar do voto ser obrigatório no Brasil, há uma grande quantidade de pessoas que não vota em qualquer das opções disponíveis para contribuir à definição de representantes, seja com o voto nominal em um/a política/o ou com voto na legenda partidária. Mas as … Continue lendo »
Não verta lágrimas pelo capitalismo

Não verta lágrimas pelo capitalismo

Immanuel Wallerstein – Wallerstein avisa: tornou-se impossível recompor o sistema. As crises, cada vez mais intensas e onipresentes, indicam: virá algo muito melhor ou muito pior. É aí que podemos intervir Os estudiosos da economia global estão lidando com algo que têm dificuldades de explicar. Por que os preços das ações continuam subindo, quando algo chamado … Continue lendo »
Eleições 2016: um desastre e seus siginficados

Eleições 2016: um desastre e seus siginficados

Antonio Martins – Seduzida pelo poder, esquerda afastou-se de seu eleitorado e entregou aos conservadores o voto anti-establishment. Foi massacrada. Será hora de reinventá-la? As forças políticas que deram um golpe de Estado e empossaram um governo ilegítimo, há poucos meses, tiveram ontem uma vitória eleitoral expressiva, em todo o país. Ela pode ser vista por … Continue lendo »
A hora de Outra Política

A hora de Outra Política

Antonio Martins – Em reviravolta impressionante, manifestações contra o golpe crescem, espalham-se pelo país e sugerem que o “Fora, Temer” pode vencer. Também revelam possibilidade de nova esquerda. Como construí-la? Em condições normais a cena seria surreal, mas em tempos de crise aguda da velha política o impensável realiza-se com frequência – ainda mais, no Brasil. … Continue lendo »
Quem são os policiais que querem a legalização das drogas e o fim da violência

Quem são os policiais que querem a legalização das drogas e o fim da violência

Ingrid Fagundez – A existência de policiais que são contra a violência surpreende e causa estranheza aos colegas; em alguns casos, esses policiais ficam isolados e são discriminados Três adolescentes apanham de uma fila de policiais militares. É Carnaval em João Pessoa, e os jovens invadiram um orfanato para roubar uma televisão e uma bicicleta. … Continue lendo »
O Brasil sob o golpe: seis hipóteses polêmicas (II)

O Brasil sob o golpe: seis hipóteses polêmicas (II)

Antonio Martins – O lulismo parece esgotado, apesar de sua enorme importância histórica. Um novo projeto exige relançar reformas estruturais e fugir do eleitoralismo À primeira vista, pode parecer inapropriado e cruel examinar as insuficiências da lulismo no momento em que ele é arrancado do governo por um conluio das elites, e em que o próprio … Continue lendo »