Países que reduziram maioridade penal não diminuíram a violência

Países que reduziram maioridade penal não diminuíram a violência

Frei Betto – Nos 54 países que reduziram a maioridade penal não se registrou redução da violência. A Espanha e a Alemanha voltaram atrás na decisão de criminalizar menores de 18 anos. Hoje, 70% dos países estabelecem 18 anos como idade penal mínima Voltou à pauta do Congresso, por insistência do PSDB, a proposta de criminalizar menores … Continue lendo »
Preconceito contra nordestinos foi alimentado pela loucura de colunistas

Preconceito contra nordestinos foi alimentado pela loucura de colunistas

Leonardo Sakamoto – Tão deprimente quanto as manifestações violentamente preconceituosas contra nordestinos após o resultado da eleição presidencial é identificar em muitos dos tuítes e posts raivosos o DNA da intolerância de alguns colunistas e jornalistas. Não se enganem, colegas. Esses crimes virtuais cometidos por zumbis incapazes de enxergar no outro um ser humano detentor … Continue lendo »
Perdemos

Perdemos

Gregorio Duvivier – Estou numa cilada. Hoje é sábado e tenho que escrever uma coluna que só vai ser publicada na segunda, falando sobre algo que aconteceu no domingo. Estou num paradoxo temporal: tenho que falar no passado para leitores do futuro sobre algo que é passado para eles, mas futuro para mim. Não sei … Continue lendo »
Desafios globais

Desafios globais

Marina Kuzuyabu - Personagem fundamental na reforma do sistema educacional espanhol, o educador Antoni Zabala diz que os sistemas educacionais de todo o mundo enfrentam o mesmo dilema: como passar de um ensino transmissivo para um de caráter participativo O catalão Antoni Zabala é referência para muitos governos e instituições da América Latina quando se discute … Continue lendo »
‘Sou paradóxico’

‘Sou paradóxico’

JULIANA SAYURI – Pai do músico Manu Chao, Ramón conheceu Gabo, Cortázar e não teme os mortos: ‘gente pacífica’ Toca a campainha. Entra um senhorzinho a passos pequenos, chaves penduradas no pescoço, livros a tiracolo, barba feita, fios brancos, óculos quadrados, quepe preto e pulôver azul-marinho por cima da camisa e da camiseta. Tossia, talvez pelas … Continue lendo »
”Jogamos fora 30% dos alimentos que compramos, metade sem nem abrir o pacote”

”Jogamos fora 30% dos alimentos que compramos, metade sem nem abrir o pacote”

Gabriela Sánchez – José Esquinas expõe o desperdício como um grave responsável pela falta de acesso aos alimentos e ressalta que com 2% do dinheiro gasto para salvar os bancos se poderia ter acabado com a fome. Depois de trabalhar 30 anos para a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), José Esquinas … Continue lendo »
Indignação seletiva

Indignação seletiva

Vladimir Safatle – O PSDB nunca fez a autocrítica de suas experiências de poder. Acusa os adversários de corrupção enquanto minimiza seus malfeitos. É verdade. Há uma diferença fundamental entre a corrupção tucana e a corrupção petista: graças às relações obscuras e pouco republicanas, certos setores da mídia esquecem delas mais rapidamente Quem não está disposto a … Continue lendo »
São Paulo merece e precisa viver o horror da falta de água

São Paulo merece e precisa viver o horror da falta de água

Leonardo Sakamoto – Vai ser didático para o paulistano ficar sem água. Não, este não é mais um daqueles malditos posts irônicos. Eu realmente acredito que a escassez prolongada terá um efeito transformador na forma através da qual percebemos as consequências de nossos atos. Não quero parecer leviano. Sei que hospitais e escolas vão enfrentar crises, a economia … Continue lendo »
Educadores no exílio

Educadores no exílio

José Pacheco – Por que os grandes educadores brasileiros não inspiram o labor das escolas Era uma vez…duas escolas, lado a lado a um córrego poluído. Por décadas, essas escolas deram aula de educação ambiental a alunos moradores de palafitas precariamente edificadas sobre o córrego. Até que uma das escolas alterou o seu modus operandi e … Continue lendo »
O FMI, a burguesia sem príncipe e os órfãos de Junho

O FMI, a burguesia sem príncipe e os órfãos de Junho

Luis Fernando Novoa Garzon – Urgente formar frentes anticapitalistas e antifascistas e atacar em primeiro plano os corvos (travestidos de tucanos) dos capitais mundializados – capitais “brasileiros” incluídos. Mas não nos esqueçamos de, na sequência, ajustar contas com aqueles que alimentaram os corvos, com os que se entretiveram com eles e compartilharam suas ambições e métodos … Continue lendo »