O relatório climático que a Casa Branca de Trump não quer que você veja

Jake Johnson – “A decisão de divulgar esse relatório quando as famílias estão começando a celebrar o fim de ano e as redações de jornais estão com poucos funcionários é uma tentativa de enterrar a verdade”.

Em uma manobra denunciada por ambientalistas e jornalistas como um esforço para enterrar fatos que vão de encontro com o negacionismo do presidente e sua agenda pró-combustíveis fósseis, a administração Trump usou a sexta-feira depois do Dia de Ação de Graças para, silenciosamente, divulgar o Volume 2 da Quarta Avaliação Climática Nacional (NCA4), que alerta que “o clima da Terra está, agora, mudando mais rápido do que em qualquer outro momento da história da civilização moderna” e conclui que “as emissões de gás do efeito estufa advindas da atividade humana são os únicos fatores responsáveis” pelo aquecimento ameaçador do planeta.

“A decisão de divulgar esse relatório quando as famílias estão começando a celebrar o fim de ano e as redações de jornais estão com poucos funcionários é uma tentativa de enterrar a verdade do público de que precisamos agir agora para descartar os combustíveis fósseis e estabilizar o clima”, declarou Wenonah Hauter, diretora executiva do Observatório Comida & Água.

“Divulgar esse relatório quando ninguém está olhando, tuitando sua bobagem anual sobre aquecimento global e o clima frio, e anunciando que usará as próximas reuniões climáticas da ONU como um palanque para os combustíveis fósseis, Trump está dobrando sua negação climática para o fim de ano – enquanto muitas famílias ainda estão cambaleando por causa dos desastres climáticos não naturais ao redor do país”, continuou Hauter. “A ciência já está muito avançada no tocante da mudança climática … devemos nos preparar para nosso futuro climático com ou sem Trump.”

Desde incêndios florestais à furacões catastróficos e outros eventos climáticos extremos, os “impactos da mudança climática global já são sentidos nos EUA e é previsto que se intensifiquem no futuro”, nota o relatório encomendado pelo congresso – o primeiro do tipo a ser divulgado desde que o presidente Donald Trump iniciou seu mandato em 2017.

Escrito por representantes de mais de uma dúzia de agências federais, o relatório alerta que na ausência de ações agressivas para cortar rapidamente as emissões de carbono, a crise climática continuará a ter efeitos cada vez mais devastadores no meio ambiente, na vida selvagem, e saúde humana.

“É bem provável que alguns impactos, como os efeitos da desintegração do lençol glacial no aumento do nível do mar e do desenvolvimento costeiro, serão irreversíveis por milhares de anos, e outros, como extinção de espécies, serão permanentes”, alerta o relatório.

Usando a hashtag #ClimateFriday, ambientalistas trabalharam para superar a tentativa da administração Trump de esconder a NCA4 em meio ao caos das festas de fim de ano, salientando as descobertas do relatório e alertando para as implicações se uma ação climática global ambiciosa não for tomada.

“Esse relatório deixa claro que a mudança climática não é um problema de um futuro distante”, declarou Brenda Ekwurzel,diretora de ciência climática da UCS. “Está acontecendo agora em todas as partes do país.”

O Washington Post resumiu as principais descobertas do relatório levando em consideração grandes regiões dos EUA:

Faixas das montanhas ocidentais já estão retendo menos neve ao longo do ano, ameaçando suprimentos de água abaixo delas. Os recifes de corais no Caribe, Havaí, Flórida, e nos territórios norte-americanos do Pacífico estão vivenciando descoloração severa. Incêndios florestais estão devorando porções ainda maiores de terra durante temporadas maiores de incêndio. E o Alasca está vendo uma taxa de aquecimento estarrecedora que está rompendo seus ecossistemas, de linhas costeiras congeladas à tundras permafrost em degelo.

O relatório federal surge enquanto ativistas climáticos e progressistas como Alexandria Ocasio-Cortez (Democratas-NY) estão exigindo que o Partido Democrata combata a agenda de combustíveis Fosseis da administração Trump com ações climáticas ambiciosas com um Novo Acordo Verde.

“Não é suficiente pensar que ‘é importante’. Tem que ser urgente”, tuitou Ocasio-Cortez. “Por isso que precisamos de um Comitê Selecionado para um Novo Acordo Verde, e porquê representantes financiados pelos combustíveis fósseis não deveriam escrever políticas de mudança climática.”

“A mudança climática está causando mais climas extremos, prejuízos irreparáveis à comunidades, custando bilhões de dólares por ano, e levando à incontáveis mortes. Podemos deter a destruição climática, mas somente se agirmos rapidamente para encerrar o uso de combustíveis fósseis e transicionar para uma energia 100% limpa e renovável”, concluiu Hauter. “Essa transição não é somente possível, como necessária para a saúde e prosperidade das pessoas no planeta.”

https://www.cartamaior.com.br/?/Editoria/Pelo-Mundo/O-relatorio-climatico-que-a-Casa-Branca-de-Trump-nao-quer-que-voce-veja/6/42582

Responda